Notcias e Eventos

Notcias e Eventos

Prevenção e o tempo são as grandes armas contra o AVC

26/10/2017

Você sabia que 90% dos Acidentes Vascular Cerebrais (AVCs) poderiam ser evitados? No Brasil esta é a doença que mais mata e incapacita, só em 2015 foram 100 mil óbitos em decorrência do AVC e no mundo, são seis milhões de mortes por ano. Mas, a boa notícia é que prevenção e atendimento rápido são duas armas poderosas contra esta doença. Por isso, para informar e educar sobre este problema de saúde pública, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, está promovendo de 23 a 27 de outubro, a Semana do AVC, já que, o dia 29 de outubro é o Dia Mundial do AVC.

Dentro da programação, na quarta-feira, 25, uma palestra com o neurologista Dr. Pedro Magalhães, da Neurológica, de Joinville, foi realizada, e contou com a participação de profissionais da área da saúde e também a direção da instituição. Na oportunidade o especialista abordou a importância de todos na prevenção e tratamento do AVC, já que, uma em cada seis pessoas, terá a doença, e assim, a comunidade precisa estar preparada para identificar os sinais e os profissionais de saúde e instituições prontos para atender e tratar o paciente o mais rápido possível. “Hoje em dia além de prevenção, nós temos tratamentos muito efetivo para o AVC isquêmico. Se agirmos rápido, 91% das pessoas vão voltar a ter uma vida normal, mas, tudo isso depende do tempo. Por isso, é fundamental que a pessoa reconheça os sintomas e vá direto a um hospital capacitado para que seja realizado o tratamento”, orienta o médico, pontuando ainda que está conduta fará a diferença na chance do paciente voltar a ter uma vida normal.

O tempo é precioso quando falamos de AVC. Conforme Magalhães, em um AVC grave o paciente chega a perder dois milhões de neurônios por minuto, sendo que essa perda é contínua até que se consiga fazer o tratamento. “Os três sinais clássicos que nos ajudam a identificar o AVC são, fraqueza súbita de um dos lados do corpo, a dificuldade de falar e a alteração da face ou boca torta. Assim que observado um destes sintomas, o atendimento médico deve ser buscado imediatamente, pois o tempo determina o tratamento e também as chances de reduzir sequela ou de não haver nenhuma sequela”, alertou o especialista.

Outro dado a respeito do AVC que impressiona, é que, 70% das pessoas que têm a doença não voltam a trabalhar. Isto gera prejuízo individual, familiar e também na sociedade, do ponto de vista previdenciário e da saúde pública. “A prevenção é a grande chave para diminuirmos as mortes e também o número de pessoas que sofrem com as sequelas. Controlar a pressão alta, fazer exercícios físicos moderados cinco vezes na semana, ter uma dieta saudável e balanceada (mais frutas e verduras, menos sódio), reduzir colesterol, evitar a obesidade, parar de fumar e evitar exposição passiva ao cigarro, reduzir a ingesta de álcool, identificar e tratar arritmia cardíaca e reduzir o risco de diabetes são os 10 passos que previnem o AVC”, evidenciou Magalhães, enaltecendo as campanhas e ações educativas promovidas pelas instituições para informar profissionais de saúde e comunidade sobre o AVC, que refletem na diminuição dos casos, no número de mortes e também de pessoas com sequelas.

A programação da Semana do AVC do HSVP contou ainda com um treinamento para os funcionários, que aconteceu nesta quinta-feira, 26, e abordou a importância da agilidade no atendimento, protocolos e a importância da prevenção.

Foto: Profissionais e gestores discutiram a importância da prevenção e os tratamentos em relação ao AVC. (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro)

Galeria de fotos