Notcias

Notcias

2ª máquina de radioterapia já atendeu 176 pacientes

26/04/2018

O destino de Darci Bocoli, 60 anos, é o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo. Diariamente, ele sai de Espumoso para fazer suas sessões de radioterapia no HSVP. Há seis meses ele recebeu o diagnóstico de câncer de próstata e hoje, está na 30ª aplicação radioterápica. Já fazem alguns anos em que sua esposa também precisou tratar um câncer e demorava mais tempo para fazer seu tratamento em razão de que o hospital tinha um equipamento. Agora, com duas máquinas chamadas acelerador linear, o serviço de Radioterapia agilizou o atendimento dos pacientes. “Estou sendo muito bem atendido por todos profissionais e o tratamento é bastante rápido. Venho para cá e retorno em pouco tempo”, conta Darci.

De Soledade, Soni Lorenzon, 59 anos, vem para o HSVP também para tratar câncer de próstata. Com oito meses de tratamento, ele está na 35ª sessão de radioterapia. Ele concorda com Darci na agilidade do atendimento do serviço. “É uma beleza poder fazer o tratamento em 10 minutos e estar liberado para voltar a minha cidade”.

Desde 31 de janeiro de 2018, o serviço de Radioterapia do HSVP está operando com dois aceleradores. Desse dia até 26 de abril foram atendidos somente no novo equipamento, 176 pacientes, sendo 75% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Destes, 90 pacientes já terminaram as sessões de radioterapia e 86 ainda estão em tratamento.

Devido à abrangência macrorregional, o HSVP atende a uma população de dois milhões de habitantes. Na área do câncer é crescente a demanda por serviços oncológicos. Segundo o Inca – Instituto Nacional do Câncer na Estimativa de 2018 de Incidência de Câncer no Brasil, o país deve registrar cerca de 600 mil novos casos de câncer por ano em 2018 e 2019. O câncer de pele não melanoma é o mais frequente no país, e a segunda posição novamente é ocupada pelo câncer de próstata no homem e câncer de mama na mulher. Neste contexto, o Ministério da Saúde recomenda que a oferta de serviços seja de 1 acelerador linear para cada 600 mil habitantes. “Por isso, o segundo equipamento adquirido pelo Hospital São Vicente de Paulo é fundamental para atender a demanda já existente, e especialmente oferecer aos pacientes o que há de melhor em termos tecnológicos no país”, enfatiza a médica radio-oncologista do HSVP, Julise Arpini Balvedi.

HSVP é o único no interior a tratar com radiocirurgia e radioterapia estereotáxica
Além de agilizar o fluxo de atendimento, o segundo acelerador linear possibilita aos pacientes receberem um tratamento de ponta. “Esse equipamento tem capacidade para fazer todo tipo de radioterapia externa”, destaca Julise. Ela explica que a máquina realiza as técnicas mais modernas, como a radiocirurgia que permite administrar altas doses de radiação em uma ou poucas sessões de radioterapia, em uma determinada lesão cerebral. “O Hospital São Vicente de Paulo é o único hospital fora da região da grande Porto Alegre, com capacidade de realizar o tratamento de radiocirurgia e radioterapia estereotáxica, em razão de ter esse acelerador linear”.

Conforme a radio-oncologista, o equipamento também faz radioterapia conformal 3 D, radioterapia de intensidade modulada de feixe com arco volumétrico, que permite doses mais precisas com menor efeito adverso nos órgãos sadios, radioterapia estereotáxica intracraniana e corporal. “A conferência de todos esses tratamentos pode ser feita através da radioterapia guiada por imagem, uma inovação também para a região”.

Foto: 2º equipamento de acelerador linear agilizou fluxo de atendimento aos pacientes (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Endil Mello)

Foto: Acelerador linear permite aplicação de diversas técnicas modernas (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro)

Galeria de fotos