Notcias

Notcias

Mês de fevereiro alerta para a prevenção e diagnóstico da Leucemia

08/02/2019

 A prevenção e diagnóstico precoce são dois grandes aliados no combate há alguns tipos de câncer. Por isso, é importante ficar atento a sinais, sintomas e se informar. No mês de fevereiro, o alerta é sobre Leucemias. A campanha Fevereiro Laranja foi criada com o objetivo de conscientizar, combater a leucemia e ressaltar a importância da prevenção, diagnóstico precoce e tratamentos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), para o Brasil, no ano de 2019, estimam-se 5.940 novos casos de leucemia em homens e 4.860 em mulheres, este dado corresponde a um risco estimado de 5,75 casos novos a cada 100 mil homens e 4,56 casos novos para cada 100 mil mulheres.

Conforme a médica hematologista do Instituto do Câncer Hospital São Vicente, Moema Nenê Santos, a leucemia é um tipo de câncer da medula óssea, que leva a produção de células doentes, prejudicando a produção das demais células do sangue como sistema de defesa, coagulação e a série eritróide, células vermelhas que são responsáveis pelo transporte de oxigênio aos tecidos. “As leucemias podem ser divididas em dois grupos: linfóides ou mielóides, quanto a característica da célula e também como agudas”.

Os fatores de risco e prognósticos são dependentes do tipo de leucemia, marcadores biológicos e também moleculares, dentre estes fatores de risco estão exposição ao álcool, pesticidas e infecções virais, exposição ambiental radiação ionizante, infecções virais, pesticidas, solventes orgânicos como o benzeno, dentre outros além de doenças hereditárias e adquiridas. “Os sintomas das leucemias são variados em relação ao tipo celular e a sua forma de crescimento celular, desta forma apresentam-se como anemias, alterações de coagulação com hematomas, petéquias, quadros infecciosos, ínguas pelo corpo, aumento do fígado, baço ou no caso das crônicas, podem não apresentar sintomas importantes e serem vistos em exames de sangue de rotina”, orienta Moema.

Em relação ao diagnóstico, a hematologista informa que são necessários exames de sangue e muitas vezes exames de medula óssea, que é conhecida como o tutano do osso, a fábrica que produz as células do sangue. “O tratamento da leucemia visa eliminar as células malignas. Para isso, são realizadas medicações quimioterápicas, imunoterápicas,ou mesmo transplante de medula óssea em alguns casos”.


Galeria de fotos