Notcias

Notcias

Dormir bem: Um dos pilares da qualidade de vida

15/03/2019

 Como estão suas noites de sono? Você dorme bem? 15 de março é dia Mundial do Sono, uma data promovida pela World Sleep Society que busca alertar a população sobre a importância do sono na qualidade de vida. Com o propósito de informar a comunidade sobre o tema a Associação Brasileira do Sono (ABS) organizou diversos eventos em todo o país. O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, abraçou a causa e junto com o médico Dr. Tiago Simon, representante da ABS em Passo Fundo, promoveu na quinta-feira, 14 de março, a palestra “Aspectos evolutivos do sono ao longo da vida, porque dormir bem é envelhecer com saúde? ”, com Dr. Cassiano Forcelini.

A palestra contou com a participação de médicos, funcionários, acadêmicos de Medicina e comunidade. Tiago fez uma abertura explicando aos presentes o porquê da realização desta campanha e de como é fundamental despertar nas pessoas o interesse pela “saúde do sono”. Além disso, pontuou as atividades realizadas durante a semana.

Na sequência, o Neurologista e Médico do Sono, Dr. Cassiano Forcelini explanou sobre a fisiologia do sono, os principais problemas e distúrbios do sono, envelhecimento e sono, características, os sinais da privação do sono e dicas. “O sono constitui um estado de quietude e diminuição da responsividade a estímulos ambientais e orgânicos que tem um papel crucial sobre a homeostase do Sistema Nervoso Central (SNC) bem como, de outros órgãos. Ninguém consegue ficar privado de sono por grande período de tempo”, explicou Cassiano evidenciando os principais sinais de privação de sono. “Dificuldade de concentração; dificuldade para expressar emoções; incapacidade para resolver problemas; irritabilidade e alterações de humor; problemas de memória e sonolência excessiva durante o dia, são sinais de que é preciso olhar atentamente para a qualidade do seu sono”.

Além disso, o especialista evidenciou que alguns fatores podem influenciar a qualidade do sono, como alteração de fusos horários, fatores ambientais como por exemplo, ruído, temperatura desconfortável, padrões de estilo de vida ruins, por exemplo, falta de atividade física, beber muito álcool ou bebidas com cafeína especialmente ao final do dia. “O sono depende do equilíbrio psíquico, neurológico e hormonal e é regido por um relógio biológico. A qualidade do sono também passa por fatores externos, por isso é preciso também cuidar do ambiente onde dormimos. Pouco luminosidade, temperatura mais baixa, não utilização de aparelhos eletrônicos que emitam luz antes de dormir são algumas dicas básicas que podem melhorar a qualidade do sono”, orientou Cassiano.

Exame que avalia e identifica a qualidade do sono

A privação do sono pode gerar inúmeros problemas de saúde, por isso, é fundamental buscar auxílio de um médico quando você notar alguma das características citadas acima. Existem alguns mecanismos para avaliar a qualidade e os distúrbios do sono. Um dos deles é a Polissonografia, exame não invasivo que mede a atividade respiratória, muscular e cerebral (além de outros parâmetros) durante o sono. A polissonografia flagra doenças como insônia, sonambulismo, bruxismo, terror noturno, narcolepsia e pode ser útil até no diagnóstico de fibromialgia.
Se você não está dormindo bem, procure seu médico e faça uma avaliação. Dormir bem é viver melhor.


Foto: Palestra abordou diversos fatores e informações sobre o sono (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro)

Galeria de fotos