Notcias

Notcias

Programa LATIN avalia resultados no atendimento a infartos

29/04/2019

 José Orlando Rocha, 63 anos, é morador Colônia Nova, em Tapejara, agricultor ele realiza suas atividades e leva uma vida ativa e saudável. Em um domingo, ele descansava depois da rotina do campo quando começou a sentir dores fortes no peito. Foi deitar achando que era algo muscular. Mais tarde a dor começou a aumentar, foi quando a família o levou ao hospital. Chegando em Tapejara, a médica que lhe atendeu realizou um eletrocardiograma, que inicialmente não mostrou grandes problemas. Minutos depois, outro exame foi realizado e a confirmação de que seu José estava enfartando. Imediatamente ele foi colocado em uma ambulância e encaminhado para o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo.

No caminho, a filha Marinez Rocha, estudante de Enfermagem foi avisada de que seu pai estava a caminho do hospital. Estagiária do setor de Hemodinâmica do HSVP ela relata a angústia. “Saí correndo para esperar a ambulância que estava a caminho. Ele chegou com muitas dores e já foi levado para a Hemodinâmica, onde o doutor falou que o quadro dele era grave”, relata.

José realizou o procedimento chamado cateterismo e depois de algumas horas já se sentia bem. “Foi por muito pouco, mais alguns minutos e perderíamos o pai”, relembra a filha. O infarto agudo do miocárdio é a segunda causa mais comum de mortes por doença no Brasil, sendo que, aproximadamente 70 mil pessoas morreram vítimas de infarto de acordo com dados do Ministério da Saúde. Felizmente, seu José não entrou para essas estatísticas, isto porque, o diagnóstico e atendimento rápido mudaram seu destino.

Ele, é um dos 127 pacientes beneficiados pelo Programa de Telemedicina –LATIN-– Latin America Telemedicine Infarct Network, uma ferramenta resolutiva que otimiza a logística dos pacientes acometidos pelo Infarto Agudo do Miocárdio, que tem como foco reduzir substancialmente a mortalidade do infarto agudo do miocárdio, preservando o maior percentual possível de musculatura cardíaca, evitando o surgimento de ICC (Insuficiência Cardíaca Congestiva). O LATIN é um trabalho em parceria com o Hospital São Vicente de Paulo e fazem parte do programa cinco municípios da região. A central do programa LATIN é Uberlândia, onde médicos Cardiologistas estão 24h de plantão e recebem os Eletrocardiogramas dos pacientes em tempo real. O laudo chega em até cinco minutos para os municípios e através de um aplicativo de celular, com acesso restrito e controlado, os profissionais de saúde são comunicados sobre os dados clínicos do paciente, laudo de exames, tempo do atendimento inicial até o tempo de desobstrução da artéria, ficando tudo registrado pelo programa - linha do tempo de cada paciente (timeline) através da alimentação dos dados na plataforma do Programa. O HSVP é o hospital de referência destes municípios e assim como no caso de José, ao receber as informações do paciente, uma equipe já fica preparada para atender o caso.

Resultados apresentados comprovam a eficácia do programa
Em abril, o HSVP realizou a II Reunião Trimestral de Coordenadores do Programa LATIN, que contou com a presença de representantes de cinco municípios, onde foram apresentadas as métricas acerca do programa, exposições dos casos de sucesso das instituições, aulas sobre Cateterismo Cardíaco e Angioplastia Coronariana, bem como o número de pacientes tratados acometidos pelo infarto agudo do miocárdio.

Conforme o enfermeiro Rodrigo Ribeiro, gestor da Hemodinâmica/Eletrofisiologia do HSVP e coordenador regional do Programa LATIN, ao longo de um ano e três meses de Programa, foram tratados mais de 127 pacientes com infarto agudo e realizados mais de 8.525 eletrocardiogramas.

Ainda sobre os resultados, Rodrigo destaca que segundo as Diretrizes da American Heart Association, o tempo porta-balão deve ser de no máximo 90 minutos. O tempo porta-balão (door to ballon), é um indicador de eficácia na abordagem de tratamento destes pacientes, da chegada a emergência do Hospital de referência (HSVP), até a desobstrução da artéria responsável pelo Infarto. “No HSVP este indicador, neste período de implantação do LATIN, o tempo é inferior a 40 minutos, o que denota a eficácia da equipe Médica/Enfermagem e agilidade no atendimento, beneficiando diretamente o paciente, com a redução significativa dos danos ao músculo cardíaco”, ressalta o enfermeiro, pontuando que os coordenadores responsáveis dos municípios com abrangência do Programa, monitoram o tempo de transferência dos pacientes, garantindo a eficácia da chegada precoce dos mesmos ao hospital de referência. “Devemos ter a consciência de que "tempo é músculo" e salva a vida dos pacientes”.

Tempo que muda destinos

“O envio dos exames para profissionais especializados, o acompanhamento da médica do programa até Passo Fundo e o atendimento rápido realizado no HSVP salvaram a vida do meu pai”, enaltece a estudante de Enfermagem, que por vivenciar o momento que pai dela viveu, buscou um estágio na área. “Meu pai não era uma pessoa com pré-disposição ao infarto. Era saudável, ativo e mesmo assim foi acometido. Ele chegou ao hospital com músculo cardíaco comprometido e realmente se a equipe não estivesse preparada ele não ia sobreviver. Hoje só podemos agradecer por tê-lo conosco com saúde. Eu depois de vivenciar essa situação busquei estágio na área de Hemodinâmica, pois queria ver de perto esse trabalho maravilhoso”.

 
Foto: Reunião realizada trimestralmente avalia o resultado e discute os casos (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Scheila Zang)
Foto: José Orlando Rocha pode curtir a família após o susto que teve com o infarto (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Divulgação)

Galeria de fotos