Notcias

Notcias

Julho Amarelo: 95% das mortes por hepatite são causadas pelos vírus B e C

26/07/2019

A hepatite é uma inflamação no fígado causada por um vírus, que recebe uma letra do alfabeto para sua identificação. Existem os tipos A, B, C, D (Delta) e E. Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), 95% das mortes por hepatite são causadas pelos vírus B e C. No Brasil, as mais comuns são dos tipos A, B e C. No dia 28 de julho lembra-se o Dia Mundial das Hepatites Virais, visando o seu combate, este mês é conhecido como Julho Amarelo.

A hepatite tem prevenção e sua transmissão se dá de diferentes formas. O Hepatologista e médico do Corpo Clínico do Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, Araby Nácul Filho, explica que a transmissão está relacionada ao contágio oro-fecal. Nesses casos, o esgoto e saneamento básico são meios de contaminação. As hepatites dos tipos B e C possui transmissão parental através de sangue e hemocomponentes contaminados, além de contato sexual, agulhas e instrumentos contaminados. O médico alerta sobre a importância de saber a forma de contágio para fazer a prevenção adequada. Atualmente, a taxa de cura dos pacientes é de 95%, com o tratamento simples.

Conforme dados da OPAS, 57% dos casos de cirrose hepática e 78% dos casos de câncer hepático estão ligados diretamente aos vírus de hepatite B e C. Araby revela que por se tratar de uma inflamação no fígado, “conforme o andamento dessa inflamação, as células hepáticas diminuem, ficando apenas a cicatriz e quando o estado de cicatrização é avançado, se instala a cirrose que, por sua vez, é um estágio que possibilita a formação de câncer”.

Vacina
Para a hepatite B, a vacina é uma forma de prevenção e controle de transmissão. Por isso, o médico alerta que é importante, para quem não fez a vacina, procurar um médico e pedir o exame de detecção da hepatite dos tipos B e C. “No calendário vacinal normal, as crianças que nascem, já recebem a primeira dose da imunização, no entanto, até duas gerações, isso não ocorria, dessa forma, é relevante que quem não tenha feito, procure fazê-la”.

Foto: Assessoria de Comunicação/ Divulgação