Notcias

Notcias

Vínculo permanente: importância da amamentação

05/08/2019

Num primeiro momento, a amamentação pode ser vista como um gesto simples, uma mãe alimentando o seu filho. Mas amamentar, além do que se pode imaginar, é criar um vínculo permanente, uma conexão que só existe entre mãe e filho. No Centro Obstétrico (CO) e Maternidade do Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, a prática é preconizada na primeira hora de vida do bebê, fortalecendo o elo mãe e filho e estimulando o aleitamento materno.

O mês de agosto é conhecido como o Mês Dourado, segundo a Enfermeira Especialista em Materno-Infantil e Coordenadora da Maternidade do Hospital São Vicente, Francielle Bonkevich Zanetti, isso se deve pelo fato da amamentação valer ouro. Este ano, a Campanha Permanente de Aleitamento Materno do HSVP, tem o tema Empoderamento: mães e pais favorecendo a amamentação hoje e para o futuro, com o objetivo de “preparar as famílias para dar suporte as mães nesse momento tão delicado de sua vida, onde há uma alteração hormonal e todas as novidades do parto”, aponta Francielle.

A enfermeira salienta que a amamentação é considerada um padrão ouro, pois o leite materno “é um alimento completo que sacia a fome e a sede do bebê, sendo esse o único e exclusivo alimento até os seis meses de idade e complementando como alimentação até os dois anos de idade” afirma. O aleitamento materno, conforme Francielle, traz muitos benefícios para a saúde da criança: “eleva o QI, protege com seus anticorpos, sendo considerado uma “vacina” para os bebês, prevenindo doenças alérgicas e infecciosas, diminuindo o risco de diabetes e obesidade, além de acalmar o bebê”. A amamentação deve ser de livre demanda. Para Francielle, não deve haver um horário “é a hora que ele quiser mamar, em média de oito a 12 vezes por dia, quer dizer que a cada duas ou três horas o bebê vai querer mamar, com uma duração que também pode variar conforme a necessidade dele”, relata.

A dieta alimentar da mãe também é importante. Francielle explica que “a alimentação deve ser equilibrada. Ingerir dois litros de água por dia, mais chá e suco, frutas e verduras. Deve evitar ingerir alimentos cafeinados como café preto, chá preto, chimarrão, chocolate, refrigerante em grande quantidade”.

Amamentar também traz diversos benefícios para a saúde da mãe. “Ajuda na recuperação pós-parto, auxilia o útero a voltar ao seu tamanho normal mais rápido, diminui sangramento pós-parto e, também, auxilia na perda de peso da mãe”, conta a enfermeira.

Posição correta para amamentar
A enfermeira orienta que a posição da mãe para amamentar é a que fique confortável. Deve-se lavar as mãos antes de amamentar, escolher um ambiente calmo e tranquilo e cuidar para que o bebê esteja desenrolado, assim ele fica mais livre para ficar aconchegado no colo da mãe. “O bebê deve estar voltado para o corpo da mãe, o rosto sempre de frente para a mama, os lábios virados para fora. O bebê não pode fazer barulho quando está sugando e sempre deve abocanhar o mamilo e a aréola” instrui a profissional. Além disso, Francielle diz que cuidar sempre a pega e a posição é o mais importante para ter sucesso na amamentação.

Problemas na amamentação
Segundo a enfermeira, os problemas mais frequentes na amamentação são as fissuras, os machucados, e o ingurgitamento ou empedramento do seio. Francielle destaca que para ajudar o seio, o melhor remédio é o próprio leite. “Apertar o seio e passar o leite ao redor é considerado uma pomada natural e vai ajudar nas fissuras”.

De acordo com a profissional, passar produtos no seio, além do uso de bicos, chupetas, mamadeiras são alguns dos fatores que podem contribuir para a cessação da amamentação. Para prevenir os problemas, Francielle destaca que a pega e a posição precisam estar corretas e deve-se sempre tentar esvaziar uma mama e depois a outra.

Dicas para evitar o empedramento do seio
A enfermeira evidencia que deve-se dar de mamar sempre que o bebê quiser, de livre demanda. Além disso, “retirar o excesso de leite da mama, massageando, tentando desempedrar e amolecendo o seio e tirando o primeiro leite que é o leite magro, que mata a sede do bebê, deixando o leite gordo, que mata a fome do bebê, vai fazer com que a mama fique mais macia e ele consiga abocanhar melhor o mamilo e a aréola”, avalia Francielle.

Sala de coleta
Para aquelas mães que por algum motivo não estão junto com seus filhos em alojamentos conjuntos, o hospital proporciona a oportunidade de retirar o leite na sala de coleta, de forma mecânica. Segundo a profissional, essa é uma forma de garantir que a criança receba o padrão ouro do aleitamento materno. A sala de coleta de leite materno é aberta todos os dias.

O Hospital São Vicente também possui o Disk Amamentação, um canal onde a mãe pode solucionar dúvidas e pedir auxílio caso não consiga se deslocar até o hospital. O número é (54) 3316-4037 e qualquer mãe pode entrar em contato.

Foto: Para Francielle, ter sucesso na amamentação é preciso ter uma família empoderada de conhecimento sobre o amamentar (Foto: Assessoria de Comunicação/ Scheila Zang)


Galeria de fotos