Notcias

Notcias

Ações lembraram o Dia Nacional de Doação de Órgãos

27/09/2019

 A Doação de Órgãos é um gesto de empatia e solidariedade que devolve esperança de vida para as pessoas. Quem espera por um transplante convive com a angústia e a expectativa de que uma família diga sim para a doação. Hoje, no Rio Grande do Sul, a taxa de negativa familiar para a doação é superior a 40% e esse dado é reflexo da falta de informações, crenças, tabus ou mesmo da falta de comunicação do desejo do familiar em relação à doação.

Falar sobre doação ainda é difícil, pois envolve a perda de uma pessoa por uma família. Mas, ela precisa ser vista como uma chance de salvar outras tantas vidas, mudar destinos, de deixar um legado.

As equipes da Organização de Procura de Órgãos (OPO4-RS) e Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, trabalham incansavelmente na divulgação de informações e abordagem as famílias. A equipe que é multiprofissional está sempre disponível para esclarecer dúvidas e conversar sobre o assunto.

Para levar o tema para a comunidade, nesta sexta-feira, 27, Dia Nacional da Doação de Órgãos, uma nova campanha para chamar a atenção para a causa foi divulgada e o Dia D pela doação foi realizado no pátio do hospital, disponibilizando à comunidade, Feira de Saúde, com verificação de pressão arterial e glicemia e informações sobre a doação. Colaboradores, comunidade e familiares que passavam pelo hospital desfrutaram da ação.

Uma longa fila de espera
Durante o dia D, pela Doação de Órgãos os profissionais que atuam na captação e transplantes, junto com a Comunicação Social, organizaram uma espécie de fila de espera, para simbolizar quem precisa de um órgão. Ao meio dia, a entrada da portaria de visitas foi parada, e as pessoas que chegam para visitar seus familiares recebiam uma senha. Os números que eram altos, 230, 800. 33000, 2590, entre outros, representava a quantidade de pessoas que estão na fila de espera por órgão.

A fila gerou algumas reclamações, muitos ficaram impacientes ao ver o número de pessoas se aglomerando para adentrar ao hospital. Após 10min, a equipe do hospital, informou sobre a ação. “Vocês ficaram 10 minutos na fila, muitas pessoas esperam semanas, meses, por um órgão. Esse número que vocês receberam é simbólico, mas já pensaram se tivessem que esperar 33.000 pessoas entrar no hospital, para chegar a vez de vocês? Hoje, no Brasil, este é o número de pessoas que esperam por um transplante”, explicou a enfermeira da OPO Fabiana Dal Conte.

Depois da revelação, muitos ficaram comovidos com a atividade. Francieli Dalben era uma das pessoas da fila e estranhou a grande movimentação. Quando soube o motivo se emocionou, pois, seu pai, realizou um transplante de fígado. “Eu era uma pessoa totalmente contra a doação de órgãos, por falta de informação e imaturidade. Quando o meu pai precisou que eu vi a realidade e conheci como funcionava isso mudou. Hoje eu faço campanha pela causa e não esqueço a alegria do momento em que ligaram para nós e disseram que tinha um órgão para o meu pai”, relata Francieli, finalizando com um incentivo a campanha. “Sei que tem muitas pessoas como eu, que são contra a doação por não terem informação, mas precisamos pensar no próximo. Doem órgãos, conversem com os seus familiares e salvem vidas”.

Decisão que muda destinos
A nova campanha permanente de Doação de Órgãos e Tecidos, desenvolvida pela Comunicação Social do HSVP, traz a flor dente de leão, como símbolo da renovação, já que, depois de florescer e secar, a planta distribui suas sementes ao vento, para que novas plantas surjam em outros lugares.

A atitude de deixar ir estas sementes simboliza o sim para a doação, quando, coração, pulmões, fígado, pâncreas, intestino, rins, córnea, valvas cardíacas, pele, ossos e tendões podem ser retirados e um único doador pode salvar inúmeras vidas, que estão na fila de espera por um transplante.
Para quem recebe, a atitude muda destinos. Uma família pode ser formada, um jovem pode concluir seus estudos, uma mulher pode casar e tantas outras histórias surgem a partir do gesto, assim como semente lançada na terra que se multiplica.

O dente de leão foi escolhido por ser uma planta com grande presença na região e com isso, queremos que ao encontrar a planta, as pessoas lembrem da causa, ou mesmo, pensem em empatia, generosidade e solidariedade.

Com a frase “Não deixe cair por terra o que pode alçar novos voos. Sua decisão muda destinos”, a nova campanha quer disseminar e incentivar essa causa tão nobre.

Goles de Afeto doados à população
Para despertar a gentileza, solidariedade e empatia nas pessoas, o Hospital São Vicente de Paulo, por meio da OPO e CIHDOTT, convidou o projeto Goles de Afeto, desenvolvido pela jornalista Victória Holzbach, para uma ação na praça.

Victória confecciona garrafas decoradas, com flores e poesias e as espalha pela cidade, levando carinho e alegria para o dia das pessoas. Na ação, a proposta foi a seguinte, uma garrafa tinha várias flores, outras estavam ao lado vazia. Ao encontrar o Goles, a pessoa tinha a opção de levar a garrafa com todas flores, ou doar algumas flores para as outras garrafas. Depois, quem encontrasse-as, saberia que aquelas flores tinham sido “doadas” por uma pessoa solidária.

Quem encontrou as garrafas pelo caminho se surpreendeu com ação. “Foi muito lindo e emocionante encontrar as garrafas e as flores. Nós doamos os órgãos do meu irmão há três anos, ele era doador e nós respeitamos a sua vontade”, relatou Janaína Nunes, que doou flores à outras garrafas.

A ação também foi realizada nos corredores do hospital para sensibilizar os profissionais do seu papel na doação de órgãos. Gabrieli Toigo Basso encontrou as garrafas na portaria de funcionários e decidiu por doar flores para outras garrafas. Lucimara Borges encontrou as flores doadas e agradeceu o gesto feito pela colega. “Muito lindo este gesto de doar as flores. Eu doadora de órgãos e já conversei com a minha família. É muito importante termos esse geste de generosidade”.

Para Victória que topou a parceria no projeto “Unir o Goles de Afeto com uma campanha tão propositiva nos faz somar forças naquilo que é fundamental. A gentileza e a solidariedade se manifestam a todo tempo e abrangem nossa vida inteira. Desde as coisas pequenas, como doar suas flores para alguém, até aquelas capazes de transformar muitas vidas, como a doação de órgãos. Se você pode fazer uma pessoa sorrir com um Gole de Afeto, imagina só com o órgão que ela tanto espera”.

Foto: Dia D pela Doação de Órgãos (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro
Foto: Goles de Afeto despertou a gentileza e empatia na comunidade (Foto Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro)
Foto: Nova campanha de Doação de Órgãos e Tecidos HSVP ( Arte Talita Marcondes)

Galeria de fotos