Notcias

Notcias

HSVP e Passo Fundo Shopping juntos no combate ao Câncer de Mama

04/10/2019

 O mês de outubro já é tradicionalmente lembrado como “mês Rosa”, em função da campanha de prevenção do Câncer de Mama. Mundialmente divulgado, Outubro Rosa enfatiza a importância da prevenção, exames e diagnóstico precoce, além do tratamento adequado do Câncer de Mama. O laço rosa tornou-se um símbolo na luta contra essa doença que é o tipo mais comum de câncer entre as mulheres em todo o mundo e responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. No Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, mais de 600 mulheres foram atendidas para o tratamento da doença. Por isso, o hospital reitera e une forças as demais instituições para disseminar informações e salvar vidas.

Quando o assunto é Câncer de Mama, informação nunca é demais. Temos a impressão que este tema é de conhecimento da maioria da população e que é bastante debatido. Mas não é a realidade. No Brasil, cerca de 45% dos casos da doença são diagnosticados em estágios avançados, ou seja, diminuindo as chances de cura das pacientes. É por isso, que este assunto deve ser discutido, principalmente no mês dedicado a ele: o Outubro Rosa. Diante disso, uma das ações que acontece durante todo mês está sendo realizada em parceria com o Passo Fundo Shopping, onde em um espaço especial foi montado para disponibilizar orientações.

O Espaço Rosa, fica no piso 2, em frente ao Giulieta Café. De segunda a sexta-feira, conta com informativos sobre prevenção do câncer de mama; uma asa gigante rosa para fotos com laços alusivos ao outubro rosa – que podem ser retirados da asa; campanha de doação de lenços para as pacientes em tratamento de câncer; e sorteio de camisetas do Outubro Rosa do HSVP para quem colocar o nome da urna. Já aos sábados, das 10h às 20h, e aos domingos, das 11h às 20h, profissionais do Centro de Imagem da Mama (CIM), Residência Multiprofissional Integrada em Atenção ao Câncer, UPF, Prefeitura Municipal e Escola de Enfermagem, estarão no Espaço Rosa para informar e tirar dúvidas sobre a doença.

Atenção para os fatores de risco

Todas as mulheres precisam conhecer seu corpo e ficar atentas aos sinais de alerta. Se cuidar é um gesto de amor próprio, é autoestima. Conforme a médica Dra. Daniele Cavalheiro Vieira Floss, responsável técnica do Centro de Imagem da Mama é possível trabalhar na prevenção do câncer de mama e também em casos de fatores de risco, fazer exames anualmente ou conforme indicação médica. “A prevenção primária do câncer de mama está relacionada ao controle dos fatores de risco reconhecidos como: má alimentação, obesidade, sedentarismo, tabagismo e alcoolismo. Estima-se que, por meio da alimentação saudável, não ingesta alcóolica e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de desenvolver a doença”, orienta a especialista, enfatizando ainda, os fatores de risco para o câncer de mama: “Quanto maior a idade, maior o risco de desenvolvimento da doença; história familiar positiva de parentes de primeiro grau com câncer de mama-risco aproximado de 13%; defeito nos genes BRCA1 e BRCA 2, com risco aproximado de 70 a 80%; menarca precoce (primeira menstruação antes dos 12 anos); menopausa tardia (última menstruação depois dos 55 anos); nuliparidade (não ter filhos); idade da primeira gestação acima dos 30 anos; tabagismo; alcoolismo; sedentarismo e obesidade. Se você possui alguns desses fatores, ligue o sinal de alerta”.

Ainda, conforme Daniele, o câncer de mama inicial não causa sintomas, somente em estágio mais avançado, que é quando aparecem nódulos na mama ou na axila, alteração no tamanho, no formato ou na textura da mama ou do mamilo e descarga mamilar sanguinolenta ou água transparente. “Realizar autoexame das mamas, fazer avaliação com um médico ginecologista e realizar exames de imagem necessários para a avaliação adequada das mamas são passos que chamamos de prevenção secundária e que, são essenciais para o diagnóstico precoce do câncer de mama”.

O diagnóstico precoce do câncer de mama é fundamental para o aumento das chances de cura. Para um diagnóstico preciso, a tecnologia tem sido uma aliada das mulheres. Daniele salienta alguns exames utilizados atualmente para avaliar as mamas e diagnosticar a doença.

O primeiro e mais conhecido é a Mamografia, exame de imagem, fundamental para o rastreamento do câncer de mama. “Conforme estudos europeus e americanos quando a mamografia é realizada com intervalos regulares, há uma queda entre 25-44% na mortalidade do câncer. Mulheres acima dos 40 anos devem realizar o exame anualmente e mulheres com história familiar positiva devem realizar o exame após os 35 anos ou dez anos antes da idade em que a familiar apresentou a doença”.

Sobre o CIM

O Hospital São Vicente de Paulo possui um espaço dedicado à saúde da mulher. O Centro de Imagem da Mama tem como objetivo permitir o diagnóstico precoce do câncer, possibilitando a paciente realizar um tratamento adequado e consequentemente conseguir a cura. “No CIM realizamos todas as modalidades de diagnóstico por imagem da mama, incluindo mamografia digital, com a tecnologia tomossíntese, ecografia mamária e das regiões axilares e procedimentos invasivos guiados por mamografia e por ecografia, bem como todas as demais modalidades de exames de ecografia para as mulheres (transvaginal, abdome, tireoide com Doppler, carótidas, entre outros), sendo um ambiente exclusivo para cuidar da saúde da mulher”, destaca Daniele, pontuando ainda que, o CIM traz o benefício de menor tempo de espera entre os exames, já que, todos são realizados no mesmo lugar e em sequência.

Galeria de fotos